quinta-feira, 30 de abril de 2009

ETAPA 1 - PRIMEIRA EUCARISTIA



ETAPA 1

PRIMEIRA EUCARISTIA

Introdução

01. Uma Catequese de estrutura catecumenal:

Nessa nova proposta do Projeto Alicerce, que é a modalidade catecumenal, esta Etapa 1, de responsabilidade da Pastoral Catequética, constitui um momento de preparação para os três primeiros sacramentos: o Batismo, a Reconciliação e a Eucaristia. Ela também é uma oportunidade privilegiada para a inserção dos catequizando na comunidade Igreja. Nela os catequizandos farão os três primeiros momentos do catecumenato: Pré-Catecumenato, Catecumenato e Purificação e Iluminação. A quarta e última parte do Catecumenato, que é a Mistagogia, será realizada em duas etapas, a saber: Mistagogia I na Etapa 2 (Perseverança) e Mistagogia 2 na Etapa 3 (Crisma).

02. Idade de ingresso na Etapa 1:

Os destinatários desta etapa são os catequizandos de 7 a 17 anos completos. Ou seja, possuindo estas idades, todos os candidatos que em nossas paróquias procurarem por Batismo, Eucaristia ou Crisma (neste caso, não sendo batizado ou não tendo a Primeira Eucaristia) nas paróquias, deverão fazer os 3 (três) anos dessa etapa catecumenal, em vista de um preparo melhor para a recepção dos Sacramentos da Iniciação Cristã. Vejamos a tabela:

Tabela 1:
Idade do(a) Candidato(a) Fará a Etapa 1?
7 à 17 anos completos Sim!
18 anos completos Não! Ele(ela) deverá ser matriculado(a) na Catequese com Adultos

03. Perfil dos catequizandos da Etapa 1:

a) Catequizandos de 07 a 08 anos:

“Os catequizandos nesta faixa etária tem uma relação mais estável com o mundo, captando o que está ao seu redor, sendo afetuosos e buscando amizade; nas adaptações são mais racionais e organizadas, sendo seu relacionamento com Deus, marcado pelos pais. Desse modo, no trabalho com elas deve-se:
:: Proporcionar momentos de interiorização e relaxamento;
:: Retomar atividades de memorização;
:: Usar jogos corporais e a dança;
:: Nas atividades lúdicas, usar de símbolos e figuras;
:: Motivá-las a se abrirem, atendendo as suas dúvidas e curiosidades;

:: Integrá-las ao grupo, e apresentar figuras de homens e mulheres importantes para a humanidade;
:: Motivá-las a participação na Igreja e em celebrações.”1


É importante lembrar que aos 7 anos nem todas as crianças estão alfabetizadas, assim convém o catequista usar metodologia alternativa para aplicar os conteúdos relativos ao Módulo I.

b) Catequizandos de 09 a 10 anos:

“O catequizando, nesta faixa etária, aprecia atividades físicas; costuma fazer alguns questionamentos; pode depreciar a si e aos outros; tem linguagem mais elaborada de criatividade; tem interesse nas atividades por ele sugeridas; questiona os adultos; é instável e menos afetuoso: sensível ao fracasso; acolhe a imagem de Deus como um ser superior. Assim, é importante o catequista:
:: Mostrar-se amigo e gerar confiança, sabendo apresentar autoridade;
:: Apresentar os conteúdos com motivação e criatividade;
:: Ensinar que podemos aprender com erros e derrotas;
:: Saber que é muito importante, nesta fase, os modelos masculinos e femininos;
:: Trabalhar a questão do perdão, da vida com Deus, de se imitar a Jesus”.2

c) Catequizandos de 11 a 13 anos:

“O(a) catequizando de 11 a 13 anos, está passando por transformações físicas e psíquicas; sente curiosidade sobre o sexo oposto e preocupa-se com sua aparência; fala e questiona; prefere atividades em grupo; gosta de reflexões sobre temas atuais; não gosta do que é rotineiro; quer liberdade de ação; quer por perto quem lhes dê segurança, mas sem tratá-los como criança; vivencia os primeiros namoros e conflitos com sua sexualidade; descobre a Igreja como comunidade; acredita na oração e na ajuda de Deus. Desse modo, é importante o(a) catequista:
:: Saber valorizar, orientar e respeitar as conquistas e descobertas deles;
:: Promover dinâmicas, atividades e debates em que eles possam expor suas idéias;
:: Organizar torneios e gincanas que dinamizem o momento formativo;
:: Orientá-los nas dificuldades com os pais e com eles mesmos;
:: Ensiná-los a serem responsáveis;
:: Orientar suas dúvidas de fé e acerca da Igreja;
:: Apresentar a comunidade cristã como caminho de buscas mais profundas;
:: Apresentar Deus e Jesus Cristo como alguém em quem se pode confiar;
:: Iniciar a questão da discussão vocacional”.3

d) Catequizandos de 14 a 15 anos:


“O(a) catequizando dos 15 aos 16 anos tem maior percepção quanto a si mesmo e a novos ideais, o crescimento pode ser rápido ou lento e desordenado, amadurece a compreensão verbal e a facilidade para o discurso, busca independência do círculo familiar, elabora seu conceito de moralidade, suas decisões são movidas por múltiplas influências, podem apresentar agressividade.

Sua visão de Deus varia de uma idéia presente na mente das pessoas a um Deus a quem recorre nas dificuldades. Portanto, a catequese com adolescentes deve apresentar certas características como:
:: Os encontros devem ser atraentes e dinâmicos;
:: Trabalhar atividades que desenvolvam as habilidades pessoais: canto, poesia, teatros,
murais, dinâmicas, etc;
:: Trabalhar os temas a partir dos conhecimento dos catequizandos;
:: Saber dosar a ternura e a firmeza, mostrando o certo e o errado e exemplificando;
:: Buscar desenvolver e elevar a auto-estima dos catequizandos;
:: Diversificar os encontros, proporcionando passeios, festas, gincanas, etc.;
:: Levá-los a conhecerem a comunidade, interagindo e se dispondo a trabalhar nas pastorais,
movimentos, visitas a asilos, orfanatos, etc;
:: Promover reuniões de pais para integrar pais, catequizandos e catequistas, visando ao
envolvimento dos pais no processo formativo”.4

e) Catequizandos de 16 a 17 anos:
“- Começa a compreender-se e a encontrar-se a si mesmo e sente melhor a integração no
mundo onde vive;
- Apresenta um significativo progresso na superação da timidez;
- É mais sereno na sua conduta. Mostra-se menos vulnerável às dificuldades;
- Tem maior autodomínio;
- É a época de tomar decisões: futuro, estudos...;
- Começa a projetar a sua vida;
- Estabelece relações mais pessoais e profundas.

Ajudas positivas:

- Que aprendam a escutar e a compreender os que pensam de forma diferente da deles ou do seu pequeno grupo, mas que não abdiquem das suas idéias ou princípios;

- Que reflitam constantemente sobre os pontos de vista que são contrários aos seus, sabendo interpretá-los adequadamente;

- Que saibam suportar as contrariedades que qualquer responsabilidade implica, seja própria ou perante os outros;

- "Querer é poder". Que se convençam de que não é possível conseguir mais se não nos propomos seriamente a isso.
Tópicos para lidar com um adolescente:
- Mostrar-lhe sincera amizade;
- Estabelecer uma comunicação baseada no respeito, na confiança e na oportunidade;
- Ter sempre muita compreensão;
- Aprender a escutá-los;
- Não cansar de os animar;
- Exigir suavemente, mas com firmeza;
- Compartilhar dos seus bons projetos;

- Medir bem aquilo que lhes exigir, e manter-se firme nas decisões que forem tomadas;
- Ceder nas coisas em que isso for possível”.5

No que se refere a religiosidade:


- Promover a participação nos grupos de jovens e atividades eclesiais, conformes os documentos da Igreja para a juventude;
- Mostrar-lhes Deus como o Pai apresentado por Jesus;
- Promover sua participação em trabalhos comunitários e pastorais;
- Canalizar sua energia para as atividades missionárias;

- Mostrar-lhes que a moral católica é direção e não freio: o “não pode” é ajuda para crescer como pessoa e cristão, e não simples proibição.

04. Organização das Turmas por Idade:

Uma questão básica que se coloca para a coordenação, é como distribuir os catequizandos em turmas ideais, de modo a favorecer o trabalho catequético. Tendo em vista o leque de idades, que constitui a presente Etapa 1, e o perfil dessas idades apresentado no item 3 acima, bem como considerando a importância do catequista aplicar uma metodologia de trabalho conforme a idade
dos catequizandos, propomos uma sugestão abaixo:

Tabela 2: Paróquias com bom número de catequistas:

Ambientes Catequéticos Idades
Sala 1 7 e 8 anos
Sala 2 9 e 10 anos
Sala 3 11 e 13 anos
Sala 4 14 e 15 anos
Sala 5 16 e 17 anos

Tabela 3: Paróquias com poucos catequistas:

Ambientes Catequéticos Idades
Sala 1 7 e 8 anos
Sala 2 9 a 11 anos
Sala 3 13 a 15 anos
Sala 4 16 e 17 anos

05. Estrutura da Etapa 1:

A) Módulo I – Batismo:

:: Pré-Catecumenato:

Aqui se faz o primeiro anúncio da fé, visando a conversão. Explicita-se o Kerigma (É costume esta explicitação do Kerigma acontecer em um Retiro, porém em virtude das peculiaridades das várias idades, optou-se por aplicá-lo em encontros como na Igreja Primitiva).

Também se busca os primeiros contatos com a comunidade católica romana. O candidato inicia um tempo destinado a verificar sua disposição de seguir a Cristo e abraçar o catecumenato. (RICA 9-13). Após o encontro de acolhida, acontece uma missa, onde se fará a aceitação do candidato ao pré-catecumenato: o sacerdote faz a acolhida e apresentação geral, e traça o sinal da cruz na fronte de cada um deles. A partir dali são chamados Simpatizantes. A seguir acontecem os encontros desse tempo. Eles possuem um eixo temático que é o Batismo, onde gravitam a temática relativa a iniciação a vida de fé.

B) Módulo II – Reconciliação:

:: Catecumenato:

Inicia aqui a etapa do Catecumenato. É tempo de catequese, de aprofundamento nos conteúdos da fé católica e de celebrações (RICA 14-20). Na missa da catequese, faz-se a apresentação dos candidatos. Estes são acolhidos e admitidos no processo, sendo chamados a partir daqui Catecúmenos. A seguir acontecem os encontros desse tempo. O eixo temático deste Módulo é a Reconciliação, com a temática destacando o amor e a misericórdia de Deus.

C) Módulo III – Eucaristia:

:: Purificação e Iluminação:

Período destinado a intensa preparação espiritual do catecúmeno, que agora começará novo período. Busca purificar a mente e o coração do eleito, para iluminá-lo com a consciência mais profunda de Cristo (RICA 21-26). Acontece nesse tempo os escrutínios de aprovação, ao final do qual é conferido o Batismo e/ou a Eucaristia (RICA 27-36). Na missa da catequese, faz-se a entrega do Símbolo dos Apóstolos e do Pai-Nosso. O catecúmeno é, a partir dali chamado Eleito. A seguir acontecem os encontros desse tempo. O eixo temático deste módulo é a Eucaristia, e os temas visam permitir a inserção do candidato a vida eucarística.

D) Encontros Extras:

Em todos os anos, além dos Módulos, teremos os seguintes encontros: Campanha da Fraternidade, 04 encontros; padroeiro, 01 encontro; Páscoa, 01 encontro; Corpus Christi, 01 encontro; vocações, 01 encontro; missões, 01 encontro; total: 09 encontros. São os chamados Encontros Extras.

Assim, no decorrer da Etapa 1, teremos: no Primeiro Ano o Módulo I, mais os Encontros Extras; no Segundo Ano o Módulo II, mais os Encontros Extras; no Terceiro Ano o Módulo III, mais os Encontros Extras.

E) Mistagogia:


Tempo final do processo de iniciação. É, para os catequizandos, um caminho de aprofundamento da experiência sacramental e progressiva inserção em Cristo e na Igreja (RICA 37-40). Eles irão fazer a Mistagogia na Etapa 2 (Perseverança) ou na Etapa 3 (Crisma), conforme a idade que tiverem. Vejamos melhor na tabela:

Tabela 4:

Ingresso, após a Etapa 1, para realizar a Mistagogia I (Perseverança)
Idade após terminar a Etapa 1:

Será encaminhado para o (a):

10 e 11 anos completos Módulo I da Etapa 2 (Perseverança)
12 anos completos Módulo II da Etapa 2 (Perseverança)
13 anos completos Módulo III da Etapa 2 (Perseverança)
14, 15, 16 e 17 anos completos Não fará a Perseverança por causa da idade: será
encaminhado ao Módulo I da Etapa 3 (Crisma) 18, 19, 20 Por causa da idade será encaminhado direto para a Catequese com Adultos

06. Observações Finais:

Concluindo, lembramos aos catequistas a observância da Introdução acima, das Orientações Práticas desta versão do Projeto Alicerce, bem como das Diretrizes Diocesanas da Pastoral Catequética e Pastoral da Crisma, elementos essenciais para o sucesso da aplicação deste período formativo e de todo o Projeto Alicerce.

Nenhum comentário:

Postar um comentário